Projetos culturais da Fundação José de Paiva Netto

É no incentivo à cultura e na educação que o trabalho da FJPN encontra um dos maiores canais de aproximação com seu público. Ao promover a capacitação dos agentes do Terceiro Setor, a valorização e o resgate das manifestações populares, dos movimentos culturais clássicos e contemporâneos, da arte e da música, a Instituição proporciona em suas atividades entretenimento e saber, reforçando assim seu papel de fomentar a educação e a cultura. 

Um dos nossos fortes meios de comunicação é a Rede Educação e Futuro de Televisão (Geradora Nacional Educativa) e a Boa Vontade TV, da LBV, cuja programação alcança um público estimado em 23 milhões de telespectadores, por cabo e via satélite. Em ambas programações a valorização da cultura nacional com destaque para os programas TV Documento, Arte na Tela, Samba & História, Músicas que Elevam, entre outros.

Escola Aberta do Terceiro Setor

Esse é um projeto de educação a distância, 100% on-line e gratuito, que tem por missão promover a melhoria da capacitação dos profissionais do Terceiro Setor para que possam administrar suas organizações com senso de oportunidade empreendedora, sem perder de vista a percepção do processo de desenvolvimento socioeconômico, cultural, político e ético da sociedade em que se inserem.

Conhecendo Museus 

Atualmente, o Brasil acolhe cerca de 2.600 instituições museológicas. A cultura que os museus encerram vai além de seus acervos, é o eixo para a compreensão da trajetória do Ser Humano. Um museu pode ser provocativo, estimulando as novas gerações a discutir as questões contemporâneas e a preservação da memória.  Um povo e uma nação que preservam e divulgam sua memória, sua história, certamente terão um bom futuro. O Brasil possui museus que são únicos em suas características e aspectos do acervo. A biodiversidade, história política e econômica do país são destaques destes locais. 

Hoje, ainda há expressiva escassez de material didático para as aulas extracurriculares, e os professores necessitam de ferramentas que prendam a atenção dos alunos e lhes instiguem a curiosidade, para saber mais sobre assuntos ligados à História, à Geografia, às Artes, entre outros.

O projeto Conhecendo Museus é um importante projeto de divulgação de nossa memória. Produzindo e apresentando o conteúdo dos museus do país apresentando-os de forma diferenciada, instigante e didática. A iniciativa conta ainda com o apoio do Instituto Brasileiro de Museus IBRAM/MINC e da SECAD (Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade) do MEC.

Ligando os Pontinhos 

O projeto Ligando os Pontinhos além de intensificar e atender aos objetivos da FJPN proporciona conteúdo de qualidade para a programação de televisão. O projeto, com abrangência nacional, produziu programas sobre diversas manifestações infantis brasileiras, (causos, histórias, parlendas, adivinhas, trava-línguas, receitas, etc) rodas, brincadeiras cantadas recolhidas principalmente através dos Pontinhos de Cultura atendidos por esse projeto e seus mestres, cantadores, brincantes e aprendizes, Ligando os Pontinhos constitui-se de material com conteúdo de qualidade profissional, em programas de 24 minutos para crianças e adolescentes. A iniciativa conta ainda com o apoio da Secretaria de Cidadania Cultural/SCC do Ministério da Cultura.

Mestres e Griôs do Brasil 

Mestres e Griôs do Brasil é um projeto que nasce da necessidade de instigar e provocar o telespectador e alunos de como ocorre o processo de transmissão oral da cultura popular brasileira, além de valorizar, preservar e divulgar o patrimônio imaterial do país. O Brasil possui uma riqueza cultural oral vastíssima. Hoje ela é transmitida de geração em geração por intermédio dos Mestres de Cultura espalhados por todo o país, e difundida por seus propagadores, que são conhecidos como Griôs.

Griô é o abrasileiramento da palavra francesa griot, usada por jovens africanos que foram estudar em universidades francesas. Movidos pela preocupação com a preservação de seus contadores de histórias, que carregam consigo a tradição oral, consolidaram um conceito e uma atividade secular entre seu povo. São pessoas que, por diversas razões, circunstâncias e habilidades, acumularam conhecimentos que pertencem às suas comunidades e que podem ser entendidos como patrimônio imaterial.

O registro, em vídeo, muito mais do que mostrar as habilidades, abrangerá o sentimento que rodeia esses Mestres. O relacionamento com a família, a comunidade, os amigos e a relação de ensinar, transmitir seus conhecimentos. A região do Vale do Paraíba está intrinsecamente ligada à história dos negros no Brasil. Entre os anos de 1830 e 1840 cerca de um milhão de africanos bantos subiram a Serra do Mar em direção às fazendas cafeeiras da região. Os batuques, jongos e caxambus foram registrados por viajantes estrangeiros no século XIX e ainda hoje faz parte das ações culturais de toda a comunidade.